terça-feira, 23 de junho de 2009

"Miss «Sheer Fascination»"


Se me perguntarem, eu nego!

Não tenho qualquer fétiche!

[Bem... pensando bem... talvez... pronto, se tiver de ser, eu confesso!

Avanço um nome: "Mary Poppins".

Infantil, não é? Pois, a verdade é que, ainda hoje, não resisto, volta-não-volta a rever sequências inteiras de um filme de cujo realizador ignorei, aliás, durante anos, por completo o nome.

E, no entanto, quando o filme começa, a luz-Andrews ilumina subitamente aquilo tudo e o que é uma razoável e, em si mesma, literalmente perecível 'pepineira', torna-se imediatamente, uma experiência que, inexplicavelmente, parece renovar-se de modo quase miraculoso a cada novo visionamento.

Porquê?

Não me perguntem porquê!

Cá para mim, a razão só... podem ser duas: "Julie" e "Andrews"...

Mas é daquelas coisas que não explicam.

Como gostar de "petit suisses" com doce de framboesa ou de gravatas azuis--de preferência com bolinhas brancas...
Agora que, se eu tivesse de repente de dar um nome à perfeição, física e vocal, se calhar acabava dando o da bela mulher que Hitchcock acha que quase lhe estragou a sua (também por causa dela!...) absolutamente fascinante "Cortina..." e cujo "Feed The Birds" nunca deixo de escutar em reverencial silêncio, ai, isso!...]

2 comentários:

Anita Grey disse...

Olá amigo Carlos!
Mary popins é um classico! uhahuahau! ai ai queria ter uma baá assim
pra cuidar dos meus futuros (ou não) filhos ou até de mim mesma que já
sou grandinha mas não dispensaria um mimo vindo dela *--*
grande abraço!!!

Carlos Machado Acabado disse...

E então, "Anita"?
"Isso" vai melhor ou quê?
Eu não sei onde mora a Mary Poppins mas, se a solução está nela, eu vou à Net tentar descobrir e quando souber mando-a aí, valeu?...

Um enoooooooooorme abraço, também!

Carlos

P.S. Tem trabalhado no desenho?