sexta-feira, 26 de setembro de 2008

"Eu falei de paixões?..."

Scilla Gabel

Noutro lugar, falo de algumas 'paixões' cinematográficas de infância. De todas, uma avulta, arrebatadora e inexplicável como todas as paxões: a que nutri durante anos por uma dupla praticamente anónima da Loren (quem é que já ouviu falar no nome "Scilla Gabel"?!) que se tinha precisamente esse nome improvável: Scilla Gabel.
Durante anos, antes do 'nascimento' da Net perguntei em diversas ocasiões a mim próprio se existiria mesmo uma Scilla Gabel. Quando apareceu a Net, das primeiras coisas que fiz foi, em homenagem a essas dificilmente confessáveis (tanto quanto dificilmente explicáveis) arrebatamentos e emoções de adolescência, procurar o nome e a efígie dela aí.
Seria, de facto, como eu a imaginara? Que tipo de impressão me causaria re/vê-la tantos anos e tantas ilusões perdidas depois?
Quando a vi, claro que lhe menti dizendo-lhe que estava praticamente na mesma que é aquilo que a gente diz às pessoas que reencontra, depiois de muita idade!) ter passado por elas, deixando exactamente as mesmas marcas, interiores e exteriores, que deixou em nós...
Mas, tirando isso, gostei de a ver...
Da velha "chama" juvenil continuamente reactivada na escuridão ritual do velho "Olympia" ou do não menos velho "Salão Lisboa", o inefável "Piolho" ("chama" essa, entretanto, quase completamente consumida: nesse entretanto, apaixonei-me sucessivamente pela Silvana Mangano, pela Ingrid Bergman e ultimamente pela Nicole Kidmann...) ficou, ainda assim, uma cálida memória que, hoje, aqui, comovidamente evoco---e, sobretudo, homenageio.


Ingrid Bergman como Joana de Arc

1 comentário:

filomeno2006 disse...

Scilla Gabel, parecida a Sofia Loren